• Agenda

    janeiro 2010
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031
  • Categoria

  • Mais Acessados

    • Nenhum
  • Arquivo

  • Páginas

  • Minas em Pauta no Twitter

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Governo Aécio Neves ampliou certificação de cachaças e alambiques em 2009

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) promoveu a certificação de 133 cachaças, de 107 alambiques, em 2009. Das marcas licenciadas, 29 são cachaças orgânicas, produzidas sem a utilização de agrotóxico e adubos químicos, 74 são convencionais, e quatro são produzidas pelo sistema SAT, sem agrotóxicos, porém com adubos. A expectativa para 2010 é que 150 marcas sejam certificadas, meta prevista no Projeto Estruturador Certifica Minas, gerenciado pelo Instituto.

Até o fim de 2008, apenas 10 produtores tinham o selo e 54 estavam em processo de certificação e meta do IMA, de certificar 100 cachaçarias até o fim de 2009, foi cumprida .

O programa de certificação de produtos agropecuários e agroindustriais do IMA é voltado para produtores de cachaça produzida artesanalmente, com fermento natural e destilada em alambique de cobre.

No momento de requerer a certificação, o produtor pode optar por três sistemas produtivos da cana, o sistema orgânico, o SAT e o sistema tradicional. No primeiro, a cana deve ser cultivada sem agrotóxico e adubo químico. Já no SAT não pode ter aplicação agrotóxicos e o uso do adubo químico é permitido. E no tradicional é permitido o uso de agrotóxicos e adubos químicos indicados para esta cultura.

Para certificar as bebidas, o IMA emite o “Certificado de Processo: Cachaça Artesanal de Alambique”, “Certificado de Processo: Cachaça Artesanal de Alambique Orgânica” ou, ainda, o “Certificado de Processo: Cachaça Artesanal de Alambique Sem Agrotóxicos”. De posse do certificado, o Instituto autoriza a impressão do selo em função da estimativa de safra apurada nas auditorias e fornece o modelo e padrão de selo que deve ser afixado no produto.

O diretor geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, explica que a certificação é uma maneira de atestar a qualidade do produto e agregar valor. “O programa de certificação de cachaça facilita a entrada da bebida em novos mercados, aumenta a competitividade dos produtores, garante sua qualidade e propicia boas opções aos consumidores”, afirma.

A certificação é de adesão voluntária e o interessado em participar deve procurar um dos escritórios do instituto para receber as orientações necessárias.

Organismo Certificador de Produto

Em 2009, o Instituto alcançou a condição de Organismo Certificador de Produto (OCP), com chancela do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A conquista representa o reconhecimento da competência técnica da instituição para certificar cachaças industriais e artesanais.

A acreditação permite ao IMA certificar produtos com base em princípios internacionais, considerados de grande confiabilidade. Ao aliar sua marca à do Inmetro, o instituto garante ao produto certificado um reconhecimento nacional e internacional, o que auxilia na conquista de novos mercados e reforça a confiança do consumidor.

O corpo técnico do instituto possui experiência relevante no setor de certificação de produtos agropecuários e agroindustriais, atuando em âmbito estadual. O IMA conta com 58 auditores habilitados para certificação de cachaça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: